segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Dreams

Sabem aquelas imagens muito bonitas sobre uma vida saudável e despreocupada, onde toda a gente parece imensamente feliz? Por vezes adorava ser assim. Aqui estão alguns exemplos:




Sério. Não parecem tão bem, tão "Zen"? Tenho pena de ainda não ter chegado lá. Sim, como já devem saber, sou preguiçosa. Adoro enroscar-me no sofá com um bom livro, ou já agora, com um docinho. Até agora (pois nunca digo nunca), nunca tive o menor interesse em ir para um ginásio, nunca me sentiria bem no meio dos "corpinhos Danone", e não vejo o interesse em estar no mesmo sítio a correr sem ir a lado nenhum. Boring......... Mas a preguiça não desculpa tudo. Também não tenho tempo para nada. Basicamente desisti de mim, o que me faz ficar em baixo muito mais fácilmente. E quando não gostamos de nós, dificilmente os outros gostarão, né? 

Quem viu o filme "Eat, Pray, Love" (comer, orar, amar), com a Julia Roberts, vai perceber o que vou dizer a seguir: Adorava fugir e encontrar-me, e adorava encontrar um Ketut para me dar umas dicas.  :)
Não seria maravilhoso se todos nós pudessemos, ao longo das nossas vidas, simplesmente tirarmos um tempo para nós? Um tempo onde pudessemos meditar, comer o que quisessemos e saborear, sem culpas? 

Esta vida de correria que andamos hoje em dia é desgastante. Não admira que muita gente se sinta perdida, deslocada, sem paciência. Hoje em dia só o que conta é o número de zeros na conta bancária. O que o vizinho tem a mais que nós, e que nós temos de ter a mais que ele, para provarmos a todos o nosso valor. E não esqueçamos o politicamente correcto! Uma coisa é dizermos o que todos querem ouvir, outra bem diferente é o que realmente sentimos. Para onde estamos a ir?? Que futuro teremos? 
Será que temos de esperar até não termos nada para, aí sim, regressarmos às origens? Eu sei, é muito bom e cómodo termos tudo à mão. Viajarmos em 2 horas a mesma distância que antigamente se fazia num dia. Comunicarmos para qualquer parte do mundo, em tempo real, e não termos de esperar meses por uma carta! Mas tem de haver um equilíbrio!!!! Pensem nisso...

1 comentário:

[..* p4uL *..] disse...

Sou apologista de que o futuro somos nós que o fazemos e que viver o presente é o melhor remédio que se pode ter.

Hoje mais do que nunca somos confrontados com certas atitudes e posturas de pessoas que somente pensam no umbigo delas, um gesto simples como um abraço ou uma palavra de apoio, não mais existe ou está em vias de extinção.

A mais importante "oferta" que o "mundo" nos dá, é a possibilidade de marcarmos a diferença e sermos o máximo possível humildes ao ponto de recebermos tudo o que o "mundo" têm para nos dar. Fomos feitos com propósitos e um dos principais propósitos é saber estar na vida com a certeza de que tudo o que nos deita abaixo, fortalece as "pernas" para mais uma das infinitas tentativas de subida e quando conseguimos subir é a confirmação de mais uma vitória contra aqueles que directamente ou indirectamente nos dizeram que "não valemos nada"...

Beijinhos :)