quarta-feira, 1 de maio de 2013

And isn´t it ironic...?

A vida é engraçada. Toda a minha vida me senti sufocar, sempre me senti uma florzinha de estufa (apesar de na realidade ser uma rapariga que nunca teve problemas em apanhar sol a mais, ou de se sujar na terra, ou até de pegar numa enxada). Por super-protecção, os meus pais nunca me deixaram sair do casulo. E eu cresci (principalmente naqueles anos de adolescência) a sonhar com o dia que iria finalmente ser independente. Era um sonho para mim ir a qualquer sítio ou fazer qualquer coisa sem ter de dar satisfações a ninguém. É que nem imaginam....


Os anos passaram, e o que aconteceu?
Tornei-me exactamente naquilo que não queria. Com medo de tudo, vendo sempre o lado negativo de tudo, pois preferia estar prevenida e a contar com o pior (e se acontecesse já não sofria tanto, pensava eu), do que sonhar e sonhar e no fim "cair do cavalo" e sofrer duplamente. Antes orgulhava-me de ser realista, agora sou demasiadamente negativa. Antes sonhava por tudo e por nada, agora já nem tenho tempo para isso. O que é pena...

Adorava ser como algumas pessoas, que largam tudo e partem à aventura. Adorava um dia, por um dia que fosse, esquecer-me de tudo e andar sem destino. Não pensar em convenções, não me preocupar com mais ninguém. Só comigo. 

Há um filme em que entra a Queen Latifah (que eu adorooo) chamado "Last Holiday", que acho muito pertinente. Ora reza a história que ela era uma mulher com medo de tudo, que um dia descobriu que só tinha 3 semanas de vida. Decidida a aproveitar bem o tempo que lhe restava, levantou todas as suas poupanças e simplesmente foi a onde sempre quis ir, ficou num hotel de 5 estrelas, comprou roupas lindas que seguramente no seu dia-a-dia nunca as usaria, e estava determinada a fazer tudo o que sempre tinha sonhado.
Bem, para quem nunca viu (não sabem o que perdem!), aqui fica um cheirinho:

 
 
Eu sei, eu sei. Não devemos esperar que algo de mau aconteça para começarmos a viver, né? Pois, a teoria sei-a eu, o problema é colocá-la em prática... Porque depois vem tudo. As obrigações, os medos, as faltas de dinheiro...

E todo este bla bla porquê?
Bem, porque ainda este ano a minha vida deve mudar, e eu, que deveria estar super confiante e contente, o que sinto? MEDO! E estou farta!! Odeio ser assim, e odeio ainda mais não conseguir mudar este sentimento!
Eu deveria ser independente, e vejo-me com "second thoughts", com medo de largar as minhas raízes, com medo do que os outros irão sofrer. Bahh!

2 comentários:

[..* p4uL *..] disse...

As vezes a vida quer-se assim, pra enfrentar os nossos medos!! :)

Depois deixam de ser medos e tornam-se conquistas :)

Bjxs

Morgana disse...

Sim... o problema é conseguir enfrentá-los, os desgramados são assustadores!! :p
Jinhos